segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Adélia Prado




Necessitarei ainda de quantas paixões para
Amansar meu orgulho e me deixar ver de
Frente, de costas, de quatro, comendo,
Descomendo, sem turvar meus olhos?”
“Ó Senhor, eu quero amar tudo.”


Um comentário:

Davi disse...

Adélia Prado. A conheci através de Rubem Alves que a citou muito em "Sobre o tempo e a eterna idade".
A vivacidade dela anima demais.