domingo, 27 de setembro de 2009

Arthur Rimbaud



Ela foi encontrada!


Quem? A eternidade.

É o mar misturado

Ao sol.



Minha alma imortal,

Cumpre a tua jura

Seja o sol estival

Ou a noite pura.



Pois tu me liberas

Das humanas quimeras,

Dos anseios vãos!

Tu voas então...



— Jamais a esperança.

Sem movimento.

Ciência e paciência,

O suplício é lento.



Que venha a manhã,

Com brasas de satã,

O dever

É vosso ardor.



Ela foi encontrada!

Quem? A eternidade.

É o mar misturado

Ao sol.

 
 
 
Arthur Rimbaud

4 comentários:

Nádia C. disse...

Rimbaud!! sua poesia realmente me emcoiona...


Adorei esse poema...e a foto ficou perfeita, Le*

Bruna disse...

A Nádia e essa mania.
emcoiona*
É emociona,amor.

Nádia C. disse...

ooow sua vaquinha, mas serio. eu fico besta quando leio as coisas dele, sei lá...

Nádia C. disse...

você tem vontade de dominar o mundo!!serio de sair por ai declamando poesia feiot doida!