quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A propriedade é um roubo



"Ser governado significa ser observado, inspecionado, espionado, dirigido, legislado, regulamentado, cercado, doutrinado, admoestado, controlado, avaliado, censurado, comandado; e por criaturas que para isso não tem o direito, nem a sabedoria, nem a virtude. Ser governado significa que todo movimento, operação ou transação que realizamos é anotada, registrada, catalogada em censos, taxada, selada, avaliada monetariamente, patenteada, licenciada, autorizada, recomendada ou desaconselhada, frustrada, reformada, endireitada, corrigida. Submeter-se ao governo significa consentir em ser tributado, treinado, redimido, explorado, monopolizado, extorquido, pressionado, mistificado, roubado; tudo isso em nome da utilidade pública e do bem comum. Então, ao primeiro sinal de resistência, à primeira palavra de protesto, somos reprimidos, multados, desprezados, humilhados, perseguidos, empurrados, espancados, garroteados, aprisionados, fuzilados, metralhados, julgados, sentenciados, deportados, sacrificados, vendidos, traídos e, para completar, ridicularizados, escarnecidos, ultrajados e desonrados. Eis o governo, eis a sua moral, eis a sua justiça!"



Pierre Joseph Proudhon

Um comentário:

D. Q. M. disse...

e eu ingenuamente pensando que a emancipação era menos difícil, mas Proudhon vem perturbar nossas esperanças, no entanto prefiro pensar que este realismo é uma inspiração ao processo emancipatório. Henry David Thoreau em seu livro "Desobediência Civil" apresenta alternativas concisas de se alcançar essa compreensão de ser governado 'civilizadamente'. Essa carta pra ninguém deveria ser entregue a muitas pessoas. Recebi a minha. Estou grato.