domingo, 23 de janeiro de 2011

Algum tempo atrás, talvez uns dias, eu era uma moça caminhando por um mundo de cores, com formas claras e tangíveis. Tudo era misterioso e havia algo oculto; adivinhar-lhe a natureza era um jogo para mim. Se você soubesse como é terrível obter o conhecimento de repente - como um relâmpago iluminado a Terra! Agora, vivo num planeta dolorido, transparente como gelo. É como se houvesse aprendido tudo de uma vez, numa questão de segundos. Minhas amigas e colegas tornaram-se mulheres lentamente. Eu envelheci em instantes e agora tudo está embotado e plano. Sei que não há nada escondido; se houvesse, eu veria.

Frida Kahlo

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011



O ser humano não é coerente, muito menos um escritor, a coerência não é uma virtude literária. A única virtude do escritor é a coragem de falar as coisas que não pode falar.


Rubem Fonseca In “Diário de um fescenino”

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Por que será que o céu dos meus sete anos tinha tantas estrelas...? A vida vai piorando à medida que você cresce? A morte é deserto que vai sendo descoberto?...Só os sonhos existem? Estou ficando louco, estou mergulhando numa piscina de espelhos quebrados...

Eu sei que vou te amar - Arnaldo Jabor