sábado, 23 de abril de 2011

Nunca fui como todos
Nunca tive muitos amigos
Nunca fui favorita
Nunca fui o que meus pais queriam
Nunca tive alguém que amasse
Mas tive somente a mim
A minha absoluta verdade
Meu verdadeiro pensamento
O meu conforto nas horas de sofrimento
não vivo sozinha porque gosto
e sim porque aprendi a ser só...


Florbela Espanca

3 comentários:

Interaja! disse...

Posts de Florbela sempre me conquistam.
Esse poema, então... Diz tanto, traz algo que interliga tantas almas parecidas (a sua também?).

A presença de Florbela já valeria meus parabéns. Entretanto o blog também é muito bom.

Estou seguindo-te, com prazer. (:

Érika.
interajalivre.blogspot.com

Nádia C. disse...

Nossa! Me matou.

Ronerik Holanda disse...

"e sim porque aprendi a ser só"... Fato.